sexta-feira, 19 de março de 2010

Para M.T. & Oscar

..."Sabe do que é que estava sorrindo? Você preencheu que era escritor por profissão. Pareceu-me como o mais adorável dos eufemismos que já ouvi: Quando é que escrever foi sua profissão? Nunca foi outra coisa além de sua religião. Nunca. Agora estou excitado demais. Já que é sua religião, sabe o que é que lhe vai ser perguntado quando morrer? Mas deixe-me dizer antes o que não vão lhe perguntar. Não vão lhe perguntar se estava trabalhando numa maravilhosa e comovente obra quando morreu. Não vão lhe perguntar se era longa ou curta, alegre ou triste, publicavel ou não publicavel. Não vão lhe perguntar se estava em boa ou má forma enquanto trabalhava nela. Não vão nem lhe perguntar se era aquela a obra que estaria trabalhando se soubesse que o seu tempo estava se esgotando (...) Tenho certeza de que só lhe perguntarão duas coisas. Estavam todas as suas estrelas luzindo? Você estava ocupado escrevendo com todo o seu coração? Se apenas soubesse como seria fácil para você responder sim a ambas as questões. Se apenas se lembrasse sempre antes de se sentar para escrever que você era leitor muito antes de ser escritor. Simplesmente fixe isto na cabeça, daí sente muito calmo e pergunte a sim mesmo, como leitor, que texto entre todos os que existem no mundo Buddy Glass mais gostaria de ler se ouvisse o palpite do seu coração. O próximo passo é terrível, mas tão simples que mal posso acreditar enquanto o escrevo. Você simplesmente se senta e escreve-o você mesmo. Não vou nem sequer sublinhar isso. É importante demais para ser sublinhado. Oh, Buddy, ouse fazê-lo! Ouça o seu coração. (...) Ele nunca o trairá."

J D Salinger - "Pra cima com a viga, moçada! e Seymour-uma introdução" - Ed Brasiliense, 3ª Edição - tradução de Alberto Alexandre Martins
-> faz parte da coleção L & PM Pocket...

Um comentário:

Mario Guerreiro disse...

Obrigado (pela dica, conselho, lembrança, consideração), Lu. Tenho esse livro em casa, agora me deu vontade de ler (já deveria ter feito, pois o Apanhador... me impressionou bastante quando li).

Beijo grande.